Última hora

Última hora

Londres na pista do alegado cabecilha dos atentados de 7 de Julho

Em leitura:

Londres na pista do alegado cabecilha dos atentados de 7 de Julho

Tamanho do texto Aa Aa

As autoridades britânicas poderão ter capturado na Zâmbia o alegado cabecilha dos atentados em Londres.

A informação avançada pelo jornal “The Times” surge num momento em que na capital britânica, seis mil polícias se dividem entre a caça a três bombistas em fuga e a prevenção de novas acções. As autoridades não se pronunciaram até agora sobre a alegada captura do antigo porta-voz de um imã radical de Londres, Haaron Aswat, acusado por Washington de pertencer à rede Al-Qaida. Detido na Zâmbia, Aswat teria entrado em contacto com os bombistas responsáveis pelos atentados de 7 de Julho, abandonando o Reino Unido um dia antes dos ataques. Estranhamente, o departamento de estado norte-americano tinha suspendido em 2002 o processo em que o suspeito era acusado da criação de campos de treino no Estado de Oregon. Em Londres as investigações centram-se sobre o paradeiro do bombista que no dia 21 de Julho tentou sem sucesso deflagrar um explosivo na estação de metro de Shepperd’s Bush, mudando de roupa durante a fuga como o atestam as imagens captadas poucos minutos depois da tentativa de atentado. Segundo os media britânicos, o indivíduo residente no bairro de Stockwell terá já sido identificado. Os investigadores seguiram o rasto do suspeito no dia 21, da estação até uma casa nas imediações onde uma testemunha lembra o momento em que esteve face a face com um indivíduo nas suas escadas, que pediu desculpa e saiu pela porta principal. Três mulheres foram ontem detidas na residência do suspeito. Entretanto o primeito alegado bombista detido ontem, um jovem oriundo da Somália, recusa-se até agora a colaborar com a polícia.