Última hora

Última hora

Arábia Saudita prepara funeral do Rei Fahd

Em leitura:

Arábia Saudita prepara funeral do Rei Fahd

Tamanho do texto Aa Aa

O Rei Fahd da Arábia Saudira morreu esta segunda-feira num hospital da capital do país, Riade. O monarca estava internado desde Maio devido a pneumonia aguda. Desde 1995, após um derrame cerebral, o seu estado de saúde debilitou-se e impedia-o quer de aparecer em público quer de governar o Reino.

O funeral está marcado para esta terça-feira. A Liga Árabe adiou a reunião que deveria começar na quarta-feira no Egipto e diversos países árabes decretaram vários dias de luto. Após semanas de internamento, os sauditas esperavam a notícia. Nas mensagens de condolências, enviadas pela comunidade internacional, relembra-se o homem moderado e de visão que trabalhou pela paz entre árabes e israelitas. Mas em 1991, toma a decisão que viria a tornar o país um alvo dos terroristas. Fahd acolheu tropas estrangeiras no território saudita para libertar o vizinho Koweit das forças iraquianas. A presença militar americana em terra santa do Islão acabou por incendiar o ódio dos radicais islâmicos. Nascido em 1920, Fahd entrou para a política em 1952 pela mão do irmão e mais tarde rei Faiçal. Foi ministro da Educação e do Interior, até que em 1975 foi nomeado príncipe herdeiro. Em 1982 chega ao trono do maior produtor mundial de petróleo. Com o ajuda do dinheiro oriundo dos recursos petrolíferos, lança nos anos noventa as primeiras reformas políticas da história do reino. As reformas não conseguiram melhorar, na totalidade, as relações com os Estados Unidos, que esfriaram após os atentados de 11 de Setembro, e vencer o terrorismo que mina o país que deixa de herança ao meio-irmão Abdullah, já nomeado Rei.