Última hora

Última hora

Detenções de polacos na Bielorrússia azedam relações entre Varsóvia e Minsk

Em leitura:

Detenções de polacos na Bielorrússia azedam relações entre Varsóvia e Minsk

Tamanho do texto Aa Aa

Polónia e Bielorrússia de costas voltadas enquanto Minsk efectua nova onda de detenções entre a comunidade polaca no país. Hoje foi detido o editor do jornal da Associação de polacos bielorrussos. Ontem foram capturados o vice-presidente da organização e o seu conselheiro.

Após a primeira onda de detenções na semana passada, a líder da associação, Anzelika Borys, ainda em liberdade, agradece o apoio recebido. Para além da Polónia, directamente implicada, a União Europeia, os Estados Unidos e os países vizinhos da Bielorrússia, excepto a Rússia, condenaram a repressão da minoria polaca feita pelo regime de Minsk. A tensão entre Polónia e Bielorrússia está ao rubro. Varsóvia retirou o embaixador em Minsk e enviou o vice-presidente do Parlamento, Donald Tusk, ao país vizinho para apoiar a comunidade polaca. “Ingerência” e “provocação” diz o regime de Alexander Lukachenko, tido como o último ditador da Europa. Minsk acusa a associação dos polacos bielorrussos de ser um instrumento da Polónia para organizar uma revolução na Bielorrússia como a ocorrida na Ucrânia. Na Bielorrússia vivem 400 mil polacos. Multiplicam-se as manifestações nos dois países. Na Polónia há protestos face à embaixada da Bielorrússia. Em Minsk é face à embaixada polaca.