Última hora

Última hora

Sérvia recorda guerra e êxodo de há 10 anos

Em leitura:

Sérvia recorda guerra e êxodo de há 10 anos

Tamanho do texto Aa Aa

Dez anos depois do êxodo de milhares de sérvios da Croácia há ainda muitas feridas por sarar e vários problemas por resolver.

As famílias dos mais de dois milhões de pessoas, assassinadas ou desaparecidas na guerra da independência da Croácia, da antiga Jusgoslávia, foram até à embaixada croata em Belgrado depositar flores em homenagem às vítimas. Aquela que muitos acreditam ter provocado a maior limpeza étnica de que há conhecimento depois da Segunda Guerra Mundial, levou à fuga de 250 mil sérvios da Croácia para os territórios adjacentes. A ofensiva militar croata, em Agosto de 1995, destruiu quase por completo o território que havia sido auto-proclamado pela minoria sérvia como República Sérvia da Krajina. Quem sobreviveu, não teve outro remédio senão fugir. Nos quatro dias de ofensiva militar, a que os croata chamaram Tempestade”, o território em torno de Belgrado transformou-se num campo de refugiados gigantesco. Quem fugiu não quer voltar porque o que lá deixou já não existe. Mas como refugiados a vida também não é fácil. Um refugiado diz que, no início, quando chegaram não tinham nada, dormiam oito pessoas no chão. Depois os vizinhos ajudaram-nos, todos lhes deram qualquer coisa. Na realidade, ao chegarem quase não tinham o que comer. Se não fossem os vizinhos passariam fome. A mulher disse aos jornalistas que as alternativas não são muitas, gostaria de ter algo seu, uma casa, um emprego para o marido e de não estar dependente dos outros para tudo. Voltar ao antigo território da minoria sérvia está fora de questão. Para além de tudo o resto, impera o medo do regresso ao passado e ainda de novas represálias.