Última hora

Última hora

Rússia: o contra-relógio para resgatar o submarino AS-28

Em leitura:

Rússia: o contra-relógio para resgatar o submarino AS-28

Tamanho do texto Aa Aa

As autoridades russas anunciaram ter entrado em contacto, esta manhã, com os tripulantes do submersível AS-28 russo bloqueado no fundo do oceano Pacífico desde quinta-feira.

Segundo o comando da esquadra russa do Pacífico, o estado dos sete membros é satisfatório, apesar de as reservas de ar poderem estar quase esgotadas. As equipas de resgate que aguardam, agora, a chegada de equipamento de salvamento britânico e norte-americano, reiniciaram os trabalhos de rebocagem do submarino para zonas mais profundas. Durante a noite, o submersível terá sido arrastado ao longo de cerca de sessenta metros, segundo o capitão Igor Dygalo, citado pela agência AFP. O comandante chefe da frota do Pacífico, o almirante Viktor Fiodorov, referiu por seu lado que a rebocagem se terá prolongado por um quilómetro. No entanto, há quem duvide que as equipas de resgate tenham conseguido atingir o submersível. Notícias contraditórias dão conta de que as reservas de ar poderão durar vinte horas ou três dias. O submarino AS-28 está imobilizado desde quarta-feira ao largo de Petropavlovsk-Kamtchatski depois de um objecto não identificado, ao que se pensa uma rede de pesca, ter bloqueado a hélice. Este incidente faz recordar a tragédia do submarino Kursk, há cinco anos. Ao contrário do que aconteceu na altura, a Rússia apressou-se agora a pedir ajuda estrangeira. O Japão enviou quatro navios. Os Estados Unidos e a Grã-bretanha enviaram ambos submarinos telecomandados Scorpion, um aparelho capaz de cortar cabos e que estará no local do acidente este sábado ao meio-dia.