Última hora

Última hora

Final feliz para o "enleio" do AS-28

Em leitura:

Final feliz para o "enleio" do AS-28

Tamanho do texto Aa Aa

Foi com grande emoção que as famílias dos tripulantes do mini-submarino russo, AS-28, seguiram através da televisão o resgate dos marinheiros.

A mulher do engenheiro de bordo, Paulina Bolonina, não conseguiu conter as lágrimas no momento em que viu no ecrã a figura do marido, vivo e bem de saúde. Paulina agradeceu o trabalho das equipas de salvamento que permitiu trazer a terra os sete ocupantes do submarino. “Estou muito agradecida pelo trabalho das equipas de socorro, as nossas e as britânicas, por terem conseguido salvar os nossos sete rapazes”, disse. Também o ministro da Defesa, Sergei Ivanov, agradeceu à Marinha Britânica, aos Estados Unidos e ao Japão, os participantes nesta operação. A Rússia não ganhou para o susto. Cinco anos após a tragédia do Kursk, que provocou a morte a 118 homens, a marinha russa viu-se de novo em apuros. O AS-28 estava encalhado desde quinta-feira a 190 metros de profundidade, preso em redes de pesca, numa baía no Pacífico, no extremo Oriente da Rússia. Depois de várias tentativas de regaste do submarino, o Kremlin pediu ajuda. Com uma precisão cirúrgica, o Scorpio 45 telecomandado, da marinha Britânica, cortou os cabos, permitindo içar o submarino.