Última hora

Última hora

Kursk: famílias, amigos e autoridades recordam a tragédia de há 5 anos

Em leitura:

Kursk: famílias, amigos e autoridades recordam a tragédia de há 5 anos

Tamanho do texto Aa Aa

Faz esta sexta-feira cinco anos que morreram os 118 marinheiros do submarino russo Kursk.

São Petersburgo, Vidyayevo, Kursk, a localidade que deu o nome ao submarino, e ainda Moscovo foram as cidades que acolheram as cerimónias do quinto aniversário da tragédia. Minutos de silêncio, deposição de flores, bandeiras a meia haste, foram algumas acções que marcaram o aniversário de uma catástrofe que revolta essencialmente a família e os amigos das vítimas. Sofia Leonova, mãe de um dos marinheiros que sucumbiu em 2000, acredita que as autoridades não fizeram mais porque não puderam, no entanto deveriam ter alertado mais cedo as famílias de que os tripulantes estavam mortos para não prolongar o sofrimento. O submarino nuclear russo Kursk afundou-se no mar de Barents devido à explosão de torpedos que transportava. De acordo com as conclusões do inquérito, dos 118 tripulantes poucos terão sobrevivivo à explosão. Mas os que escaparam não resistiram o tempo suficiente até serem salvos. O submarino estava a 110 metros de profundidade, as autoridades russas aceitaram ajuda internacional mas só quando já era tarde demais. O Kursk foi retirado das águas em Outubro de 2001.