Última hora

Última hora

Equador: Governo tenta recuperar controlo do país

Em leitura:

Equador: Governo tenta recuperar controlo do país

Tamanho do texto Aa Aa

O preço do petróleo aumentou ainda mais devido à crise no Equador, mas a situação afecta sobretudo o país andino, obrigado a pedir emprestado ouro negro para minimizar as consequências económicas criadas pela contestação social em duas províncias do Leste do país. Uma fonte da empresa petrolífera estatal disse esta noite que o país retomou a produção, depois de o exército, com base no estado de emergência decretado, ter retomado o controlo dos poços de petróleo e dos aeroportos das localidades em alvoroço. Mas a situação ainda não permite a retoma das exportações petrolíferas.

As consequências são também políticas e provocaram a demissão do ministro da Defesa, Solon Espinoza. O novo responsável da pasta é agora o general Oswaldo Jarrín que, na tomada de posse, afirmou que os militares podiam usar a força para repôr a lei. Há cinco dias que a população das províncias de Sucumbios e Orellana, no Leste do país, está nas ruas exigindo uma maior participação estatal na exploração petrolífera e mais empregos e investimentos por parte das empresas estrangeiras que exploram os recursos. O Equador é quinto produtor de petróleo da América do Sul e segundo fornecedor dos Estados Unidos.