Última hora

Última hora

Eleições na Alemanha dependentes de decisão do Tribunal Constitucional

Em leitura:

Eleições na Alemanha dependentes de decisão do Tribunal Constitucional

Tamanho do texto Aa Aa

A campanha eleitoral alemã encontra-se suspensa na decisão que o Tribunal Constitucional vai pronunciar esta manhã, em Karlsruhe, na Baviera.

Os oito juízes deverão anunciar se a convocação de eleições antecipadas para 18 de Setembro é válida à luz da Constituição, depois de ter sido decidida pelo presidente, com o acordo do Parlamento e do Chanceler. Segundo os deputados da maioria governamental que interpuseram o processo, a decisão viola a lei fundamental alemã que estipula que a dissolução do Parlamento só pode ser efectuada no fim do mandato de quatro anos do Chanceler. No entanto, um artigo publicado no jornal alemão Neue Ruhr Zeitung revela que os juízes terão decidido manter as eleições antecipadas por uma maioria de sete votos contra um. A informação foi negada por um porta voz do Tribunal Constitucional que a considerou “pura especulação. Quando forem 9 horas da manhã em Lisboa Gerhard Schroeder saberá se é candidato à sua sucessão ou Chanceler por mais um ano. Face à crise de confiança suscitada pelo pacote de reformas económicas e sociais do governo, Schroeder tinha encenado a sua própria deposição, ao submeter-se em Julho a um voto de confiança no Parlamento, para precipitar a dissolução do órgão de soberania. Uma manobra que lhe permitiu relançar a sua candidatura à Chancelaria, mas que não conseguiu fazer com que o candidato do SPD ultrapassasse a desvantagem de 12 a 14 pontos percentuais que o afasta de Angela Merkel nas sondagens. A candidata Democrata-Cristã é dada como favorita numa campanha eleitoral onde o campo de batalha é agora a gestão das inundações que afectam o país. Há três anos o mesmo debate impulsionava a vitória de Schroeder mas agora não parece evitar o lento afundamento do SPD nas sondagens.