Última hora

Última hora

Jean-Michel Jarre e Lech Walesa levam 100 mil pessoas ao rubro

Em leitura:

Jean-Michel Jarre e Lech Walesa levam 100 mil pessoas ao rubro

Tamanho do texto Aa Aa

Foram mais de duas horas de concerto para 100 mil pessoas comemorarem 25 anos de História.

A estrela do espectáculo foi um dos fundadores da música electrónica – Jean Michel Jarre, que homenageou o Solidariedade – o movimento sindical que contribuiu para o fim do comunismo soviético. O espectáculo foi em Gdansk, o berço do Solidariedade. Em palco, para além de Jean Michel Jarre, Lech Walesa, o fundador do sindicato que mudou a História da Polónia. Walesa não podia faltar, até porque ele foi um dos centros da homenagem que o músico francês quis tornar única. Walesa foi o fundador do primeiro sindicato independente num país comunista, recebeu o prémio nobel da paz em 1983. Quase um milhão e meio de euros foi quanto custou montar o concerto. Jean-Michel Jarre renunciou ao “cachet”. Quanto aos convidados, o artista não fez qualquer escolha e terá chegado a dizer que os convidados principais deveriam ser os operários e as famílias. As 100 mil pessoas que assistiram ao concerto esmagaram as 300 que ali mesmo ao lado, nos estaleiros navais, onde nasceu o movimento, se manifestavam contra a situação de crise económica em que se encontram. Mas o capitalismo tem destas coisas… As comemorações dos 25 anos do solidariedade culminam na quarta-feira, dia 31, nos mesmos estaleiros navais de Gdansk. Esperam-se pelo menos 20 chefes de Estado e de governo.