Última hora

Última hora

"Katrina" poupa Nova Orleães mas arrasa costa do Mississípi

Em leitura:

"Katrina" poupa Nova Orleães mas arrasa costa do Mississípi

Tamanho do texto Aa Aa

Temia-se o pior em Nova Orleães, mas o furacão “Katrina” mudou bruscamente de rumo antes de atingir a costa sul dos Estados Unidos evitando um cenário apocalíptico na capital do Luisiana.

Numa altura em que as operações de socorro ainda são muito difíceis sabe-se já que há mais de meia centena de mortos no Mississípi e estragos que os analistas avaliam em cerca de 21 mil milhões de euros. Apesar do “Katrina” ser agora já só uma tempestade tropical com ventos próximos dos 100 km/h a governadora do Luisiana alerta para o perigo pedindo à população para continuar nos refúgios, e para não voltar, por hora, a casa. “Mantenham-se a salvo. É muito perigoso regressarem a casa”, declarou. No meio do caos alguns aproveitaram para pilhar lojas, mas a polícia esteve atenta e procedeu mesmo a algumas detenções. Com o desvio de rumo para Este do “Katrina”, Nova Orleães foi relativamente poupada, acabando por ser a costa do Mississípi a mais afectada. 30 pessoas morreram num complexo habitacional na cidade costeira de Biloxi. No mesmo Estado, outras 24 pessoas perderam a vida em resultado da queda de árvores. Situada na sua maioria abaixo do nível do mar, Nova Orleães continua contudo ameaçada. Um dique junto ao lago Pontchartrain cedeu e as águas começaram a subir ao ritmo de cinco centímetros cada 10 minutos. A passagem do “Katrina” deixou também à deriva três plataformas petrolíferas, uma acabou por colidir com uma ponte.