Última hora

Última hora

Sobe o balanço de vítimas xiitas na fuga desencadeada por um boato em Bagdad

Em leitura:

Sobe o balanço de vítimas xiitas na fuga desencadeada por um boato em Bagdad

Tamanho do texto Aa Aa

O ministro iraquiano do Interior, Bayan Jabor, atribui a um suposto terrorista o lançamento do boato que espalhou o terror e causou a tragédia na ponte sobre o Tigre, matando 841 peregrinos. Fonte do ministério da Saúde, considera que o número de mortos pode aumentar para mais de mil, já que muitos dos 323 feridos estão em estado muito grave e há corpos que ainda não foram recuperados do rio e dos destroços da ponte, cuja estrutura acabou por ceder.

Logo de manhã já tinha havido um ataque com morteiros a uma mesquita, no qual morreram sete peregrinos e outros 36 ficaram feridos. Foi reivindicado pelos “Mujaidines de Jaich Al-Taifa al-Mansura (Exército da Comunidade Vitoriosa) O que aconteceu mais tarde foi consequência do rumor de que havia um bombista suicida no meio da multidão xiita, que celebra o aniversário da morte do sétimo imã xiita, Mussa al-Kadem, um dos mais importantes para os seguidores deste ramo do Islão. Representa a origem da cisão do xiismo em duas correntes: a dos partidários de Ismail e a dos seguidores de Kadem, hoje maioritários no vizinho Irão. Quando o falso aviso ecoou, milhares de peregrinos que atravessavam a ponte sobre o Tigre que liga os bairros de Adamiyah e de Kazimiyah começaram a correr em todas as direcções, em pânico e aos gritos, fazendo com que parte da estrutura ruísse e centenas caíssem à agua.