Última hora

Última hora

Iraque: onda de pânico poderá ter sido provocada por rebeldes

Em leitura:

Iraque: onda de pânico poderá ter sido provocada por rebeldes

Tamanho do texto Aa Aa

Já são mais de mil os mortos causados pela onda de pânico, em Bagdade, ontem. Durante uma peregrinação religiosa que reuniu mais de mil pessoas, houve um ataque com morteiros que matou sete fiéis xiitas.

O suficiente para que fosse propagado o rumor de que havia suicidas no meio da multidão, que se dirigia ao santuário de Mussa Al-Kadem, o terceiro mais sagrado para os xiitas em Bagdade. Do rumor à avalancha humana foi um passo. O pânico surpreendeu todos numa das pontes sobre o Tigre. Caídos ao rio, esmagados pelo gradeamento da ponte, atropelados uns pelos outros – um cenário dantesco. E hoje, a morte parece estar semeada ao longo da estrada. As autoridades locais não têm dúvidas de que o rumor foi lançado por rebeldes, interessados em desestabilizar o país. O presidente iraquiano, Jalal Talabani, afirmou que o jordano Abu Musab al-Zarqawi, alegado chefe da Al Qaida no país, provocou a tragédia. A maior no Iraque desde o fim da guerra que derrubou Saddam Hussein. A maior parte dos mortos vai ser enterrada em Najaf.