Última hora

Última hora

Furacão Katrina: Nova Orleães anseia por auxílio internacional

Em leitura:

Furacão Katrina: Nova Orleães anseia por auxílio internacional

Tamanho do texto Aa Aa

Às portas do centro de convenções de Nova Orleães, milhares de pessoas pedem ajuda após a passagem do furacão Katrina.

Cerca de 15 a vinte mil desalojados aguardam a intervenção das equipas de resgate por forma a serem transferidos para locais seguros. Nova Orleães está à mercê de grupos armados que pilham casas, comércios e hospitais. Para garantir o retorno à calma e a segurança das operações de salvamento, a Guarda Nacional destacou mais de 30 mil homens para a cidade, mas o efectivo continua por chegar. Pelo segundo dia consecutivo, prosseguiu a evacuação do estádio SuperDome, incapaz de resistir à violência do furacão. Os desalojados que se tinham abrigado no local estão a ser transferidos para Houston no Texas. George W. Bush, duramente criticado pela reacção do governo à intempérie,incumbiu os dois ex-presidentes Bush e Clinton da coordenação da recolha de fundos de auxílio às vítimas. O presidente norte-americano, que visita hoje o local do sinistro, pediu ainda ao Congresso que desbloqueasse uma verba de 10,5 mil milhões de dólares para fazer face à catástrofe. O rasto de devastação da tempestade fez-se sentir numa área de 234 mil quilómetros quadrados e poderá ter causado milhares de mortos. No Estado da Louisiana, os desalojados podem chegar aos 400 mil e o abastecimento de electricidade e água permanece cortado. Uma situação que, aliada à falta de víveres, pode originar uma tragédia humanitária de enorme escala, propiciar epidemias e multiplicar o número de vítimas mortais.