Última hora

Última hora

Acidente aéreo na Indonésia: companhia enfrentava problemas económicos

Em leitura:

Acidente aéreo na Indonésia: companhia enfrentava problemas económicos

Tamanho do texto Aa Aa

Treze pessoas sobreviveram ao acidente aéreo registado esta manhã à saída de um dos mais movimentados aeroportos da Indonésia.

Um Boeing 737 da companhia privada Mandala Airlines despenhou-se sobre um bairro residencial de Medan, no norte da ilha de Sumatra, minutos depois de descolar. Entre as 143 vítimas mortais encontrava-se o governador da região do Norte de Sumatra e o seu antecessor, assim como 30 pessoas colhidas pelo avião cuja queda destruiu duas dezenas de casas e várias viaturas. O avião com 24 anos de serviço tinha um prazo de vida útil de mais oito anos. Segundo a agência noticiosa Indonésia o avião poderá ter embatido em cabos de alta tensão, quinhentos metros depois de deixar a pista. A caixa negra encontra-se a ser examinada. Conta um dos sobreviventes que, “depois de levantar voo, o avião guinou à esquerda e depois despenhou-se e que viu uma bola de fogo a vir da ponta do aparelho até à cauda”. Entre os sobreviventes, que viajavam junto à cauda do avião, encontra-se uma criança de 17 anos assim como a mãe. O aparelho que tinha como destino o aeroporto de Jacarta, despenhou-se num bairro periférico de Medan. O mais grave incidente aéreo registado desde sempre no país levou as autoridades a declarar três dias de luto na província que tinha sido uma das mais afectadas pelo Tsunami no início do ano. A companhia aérea Mandala Airlines, conta com uma frota de 15 aviões Boeing, a maioria comprados nos anos setenta. Nos últimos meses a empresa passava por graves problemas económicos, reflexo da concorrência desenfreada registada no sector aeronáutico asiático.