Última hora

Última hora

Katrina: Socorristas com tarefa cada vez mais difícil

Em leitura:

Katrina: Socorristas com tarefa cada vez mais difícil

Tamanho do texto Aa Aa

Socorrer os sobreviventes que ainda se encontram em Nova Orleães é uma tarefa cada vez mais difícil. As equipas de socorro encontram cada vez mais cadáveres e as autoridades do Estado do Luisiana afirmam estar à esperar de um cenário bem pior quando as águas voltarem ao nível normal.

Ontem o balanço oficial era de 59 mortos só em Nova Orleães, mas os socorristas afirmam ver “mais mortos do que vivos”. Seis dias após a passagem do furacão Katrina, a pior catástrofe natural a passar pelos Estados Unidos, as autoridades recusam fazer uma estimativa do número total de mortos, mas há já quem fale de mais de 10 mil vítimas mortais só no Estado do Luisiana. George W. Bush deverá fazer a sua segunda visita à cidade esta segunda-feira. Quando visitou a região pela primeira vez, o presidente norte-americano reconheceu que a reacção inicial das autoridades foi “insuficiente” e prometeu o envio de mais militares. O Estado do Luisiana não foi o único afectado e de acordo com os primeiros balanços oficiais não é onde há, para já, registo de mais vítimas mortais. Só no Estado do Mississípi, as autoridades falam de 152 mortos. A Agência Federal para as Situações de Urgência (MEMA) fala de 219 mil pessoas deslocadas, 137 mil das quais encontram-se agora no Estado do Texas. As mais de 20 mil pessoas que se refugiaram no Superdome de Nova Orleães esperam agora por melhores dias em Houston.