Última hora

Última hora

Têxteis: Comissão Europeia confiante na luz verde dos Estados membros

Em leitura:

Têxteis: Comissão Europeia confiante na luz verde dos Estados membros

Tamanho do texto Aa Aa

Tudo indica que os consumidores europeus podem comprar roupas chinesas neste Outono/Inverno. A Comissão Europeia está confiante que os Estados membros vão dar luz verde ao acordo com Pequim.

Os Vinte e Cinco têm a última palavra, sobre o entendimento alcançado esta segunda-feira, para desembargar os mais de 80 milhões de têxteis chineses bloqueados nos portos e aeroportos da União. Países produtores de têxteis – como Portugal, Espanha, França, Itália e Grécia – não viam com bons olhos a entrada de roupas chinesas. Mas fontes próximas de Bruxelas dizem que não é provável que estes Estados venham agora dizer “não” ao acordo alcançado por Peter Mandelson. Esta segunda-feira, em Pequim, o comissário europeu e o ministro chinês do Comércio, Bo Xilai, concordaram em desembargar os 88 milhões de pullovers, calças de homem, sotiãs e afins. Mas metade dessas importações será considerada como parte das quotas estabelecidas para o próximo ano. O próprio comissário, que classificou o acordo de “equitativo”, diz-se “confiante” na resposta dos Estados membros. Mandelson considera que é preciso responder não só às necessidades dos produtores de têxteis europeus, como também dos comerciantes e, sobretudo, dos consumidores. Por isso, acredita que, na próxima semana, os Vinte e Cinco tenham aprovado o acordo e as roupas chinesas possam entrar no mercado europeu.