Última hora

Última hora

Britânicos ameaçam bloquear refinarias

Em leitura:

Britânicos ameaçam bloquear refinarias

Tamanho do texto Aa Aa

O Reino de Sua Majestade pode ser abalado por uma sublevação popular. Tudo por culpa dos altos preços dos combustíveis, com a gasolina sem chumbo a ultrapassar, pela primeira vez, uma libra (1,48 euro) por litro.

Grande parte desse dinheiro, cerca de dois terços, vai direito para os cofres do Estado, em impostos. Um grupo de descontentes quer agora obrigar o governo britânico a baixar esses impostos e ameaça bloquear as refinarias na próxima semana. Há cinco anos, um movimento semelhante semeou o caos na Grã-Bretanha. Em dez anos, o preço dos combustíveis quase que duplicou, no Reino Unido. Em 1995, o litro de gasolina sem chumbo valia 53 pence, o equivalente hoje a 79 cêntimos. Pelo meio, deu-se a crise de há cinco anos e, agora, o litro atinge pela primeira vez uma libra. O que levanta, inclusivamente, problemas técnicos, já que as bombas não estão preparadas para preços mais altos. As últimas subidas estão relacionadas com o furacão Katrina e reflectem-se também nos Estados Unidos, onde os preços atingem também valores recorde. O Katrina foi o último episódio de uma série de acontecimentos que têm feito o barril de petróleo aumentar. A subida na procura mundial é o principal factor. Um cliente de uma bomba nova-iorquina está bem informado sobre o que se passa e diz: “houve agora um pico, por culpa do Katrina, mas há muita procura, vinda da China e da Índia, que não deve abrandar, por isso os preços não devem cair”. Os analistas dizem que, para os Estados Unidos, acabaram os tempos da gasolina barata. Isto apesar de, no outro lado do Atlântico, os preços serem bastante mais baixos que na Europa.