Última hora

Última hora

Primeiras eleições presidenciais pluralistas no Egipto

Em leitura:

Primeiras eleições presidenciais pluralistas no Egipto

Tamanho do texto Aa Aa

Os egipcíos vão hoje às urnas para elegerem, pela primeira vez na história do país, o presidente, em sufrágio universal directo.

32 milhões de eleitores deverão escolher entre 10 candidatos e tudo indica que Hosni Mubarak vai suceder a Hosni Mubarak. O homem que governa o país, há 24 anos, é dado como favorito em todas as sondagens, mas não é de excluir a possibilidade de uma segunda volta, ainda que o maior movimento da oposição, a Irmandade Muçulmana, não participe nesta eleição por não ter sido autorizado a constituir-se como partido político. Só os partidos políticos foram autorizados a apresentar candidatos. Não há independentes nesta corrida à presidência. Os dois melhor posicionados para disputar a chefia do Estado a Mubarak são o chefe do partido Al-Ghad, Ayman Nour e o líder do partido néo-wafd, Noumane Gomaa, dois liberais. A grande dúvida está na taxa de participação. Várias forças políticas apelaram ao boicote. Depois do encerramento das urnas, esta noite, a comissão eleitoral tem três dias para anunciar os resultados. Após enorme controvérsia, a comissão aceitou a presença de observadores de ONG’s locais nas assembleias de voto durante o escrutínio.