Última hora

Última hora

Primo de Yasser Arafat assassinado em Gaza por militantes palestinianos

Em leitura:

Primo de Yasser Arafat assassinado em Gaza por militantes palestinianos

Tamanho do texto Aa Aa

O conselheiro do presidente da Autoridade Palestiniana para os assuntos militares foi assassinado, durante a noite, em frente à sua residência, em Gaza.

Numa mega-operação, cerca de cem militantes palestinianos tomaram de assalto a residência de Moussa Arafat, obrigaram-no a sair e mataram-no na rua, tendo sequestrado o seu filho. A operação foi reivindicada por uma grupo palestiniano, autodenominado “Os Comités da Resistência Popular” Moussa Arafat tinha sido escolhido pelo seu primo Yasser Arafat para dirigir os serviços de segurança, foi retirado do cargo por Mahmoud Abbas e nomeado conselheiro militar do presidente. Desde os acordos de Oslo, em 1993, altura em que dirigiu os serviços militares, angariou um enorme número de inimigos. Era acusado de brutalidade e de simbolizar a corrupção no seio da Autoridade Palestiniana. O primeiro-ministro palestiniano, Ahmed Qorei, diz que “tomar como alvos os líderes históricos da segurança é muito perigoso e é uma verdadeira violação contra a segurança dos palestinianos”. Num comunicado, o presidente Mahmoud Abbas garantiu, por seu turno, que todos os esforços serão feitos para encontrar e punir os assassinos de Arafat e para resgatar o seu filho. Este acto ilustra o descontentamento, na Faixa de Gaza, contra a direcção palestiniana e renova os receios sobre a segurança no território. Israel decidiu antecipar três dias a retirada militar de Gaza, prevista para 15 de Setembro.