Última hora

Última hora

Receio de epidemias aumenta em Nova Orleães

Em leitura:

Receio de epidemias aumenta em Nova Orleães

Tamanho do texto Aa Aa

Já lá vão 10 dias desde a fúria do Katrina, mas a corrida contra o tempo intensifica-se. O receio de epidemias aumenta em Nova Orleães, a cidade mais afectada pela passagem do furacão. As autoridades norte-americanas anunciaram que cinco pessoas morreram devido a infecções bacterianas e alertam para que seja evitado o contacto com a água, contaminada com combustíveis e esgotos, e mesmo cadáveres.

As equipas de socorro continuam os esforços para minimizar o número de vítimas mortais que se prevê que seja na ordem dos milhares. Apesar da gigantesca operação em marcha, estima-se que ainda estejam dentro da cidade 10 mil pessoas. Algumas recusam abandonar as suas casas, outras pretendem sair. “Temos ainda milhares de pessoas que querem sair de forma voluntária. Continuamos a desenvolver operações de busca e salvamento. Se os meus homens começarem a retirar as pessoas à força… vamos deixar morrer muitos dos que querem, de facto, sair”, afirmou Eddie Compass, responsável da polícia de Nova Orleães. Mas nem tudo são más notícias. A ajuda internacional começa agora a chegar às zonas afectadas por aquele que é considerado o mais grave desastre natural da história dos Estados Unidos. Mais de 90 países e instituições ofereceram ajuda – alimentos, água, meios técnicos e humanos. Enquanto o esforço humanitário se intensifica no terreno, estão a ser preparadas várias comissões de inquérito com o objectivo de apurar as falhas na ajuda às vítimas da tragédia.