Última hora

Última hora

Ucrânia: nódoa da corrupção cai sobre o pano da "revolução laranja"

Em leitura:

Ucrânia: nódoa da corrupção cai sobre o pano da "revolução laranja"

Tamanho do texto Aa Aa

É um terramoto no poder ucraniano. O presidente Viktor Yuschenko demitiu o governo de Iulia Tymoshenko. A mancha da corrupção caiu sobre a credibilidade da equipa de governantes saídos da “revolução laranja” de Dezembro passado. O executivo foi atingido por uma cisão que colocava em pólos opostos os apoiantes do presidente e da primeira-ministra. Pelo meio há trocas mútuas acusações de corrupção.

Yuschenko tinha pedido a união dos seus ministros para gerir o país até às eleições previstas para a Primavera de 2006, mas o entendimento revelou-se impossível. Depois de uma reunião de emergência esta manhã, o presidente anunciou, em conferência de imprensa, que encarregou o governador regional Iuri Iekhanourov de formar um novo governo. Yuschenko alegou falta de espírito de equipa e conflitos permanentes para a decisão de demitir o governo. O dia tinha começado com a demissão do ministro da Defesa e chefe do conselho de segurança, Petro Poroshenko, um dos principais visados pelos apoiantes de Iulia Tymoshenko nas acusações de corrupção. O vice-primeiro-ministro Nicolai Tomenko também tinha abandonado funções. Depois de uma reunião de emergência esta manhã, o presidente anunciou, emconferência de imprensa, que encarregou o governador regional Iuri Iekhanourovde formar um novo governo. A tensão entre os apoiantes do presidente e da primeira-ministra não era de agora. Na formação do governo os apoios tinham sido negociados até à exaustão, a aliança era frágil e o equilíbrio revelou-se cada vez mais difícil.