Última hora

Última hora

ABN Amro lança OPA sobre Antonveneta

Em leitura:

ABN Amro lança OPA sobre Antonveneta

Tamanho do texto Aa Aa

A polémica sobre a aquisição do Antonveneta chegou a um dos capítulos finais. Os holandeses da ABN AMRO vão lançar uma OPA sobre a totalidade do capital do banco italiano, depois de terem anunciado a compra da fatia, de pouco menos de 30 por cento, detida pelos rivais da Banca Popolare Italiana.

A administração deste grupo aceitou vender as acções ao ABN Amro, depois de ter sido obrigada a desistir da OPA que tinha lançado. O ABN Amro, que é já accionista de 29 por cento, passa assim a deter quase três quintos do capital do Antonveneta. A operação deve estar concluída dentro de uma semana. Antes disso, é preciso um parecer favorável das autoridades de vigilância. 26,5 euros deverá ser o preço por acção, o que valoriza o banco em cerca de 8,2 mil milhões de euros. A oferta da Banca Popolare foi afastada depois da polémica que envolveu o governador do Banco de Itália, Antonio Fazio, e por pouco não fez com que ele se demitisse. Fazio foi apanhado em escutas telefónicas que o comprometiam e demonstravam, alegadamente, uma posição parcial e proteccionista neste caso. A reprodução das conversas entre Fazio e o presidente da Banca Popolare foi publicada na imprensa. Apesar dos apelos à demissão, vindos inclusive de alguns ministros, o governador mantém-se no posto e tem agora mais um aliado. O presidente do Banco Central Europeu, Jean-Claude Trichet, já disse que Fazio deve cumprir pelo menos mais cinco anos de mandato, apesar das reformas que acabaram com o carácter vitalício do posto.