Última hora

Última hora

Quarteto internacional reclama desarmamento das milícias palestinianas

Em leitura:

Quarteto internacional reclama desarmamento das milícias palestinianas

Tamanho do texto Aa Aa

A Autoridade Palestiniana deve desarmar as milícias que operam no território antes das eleições de Janeiro e Israel terá de suspender o desenvolvimento de colonatos na Cisjordânia.

Estas foram as principais conclusões da reunião de ontem do Quarteto internacional que trabalha pela paz no Médio Oriente e pela criação de um Estado palestiniano. No encontro, que decorreu em Nova Iorque, à margem da Assembleia-geral da ONU, a secretária de Estado norte-americana Condoleezza Rice evocou “a contradição fundamental entre as actividades armadas e o processo político”, mas disse “compreender que se vive um processo de transição no território”. Os Estados Unidos parecem assim suavizar posições no que diz respeito à participação do Hamas nas eleições palestinianas, contrariando a atitude de Israel, que ameaça dificultar o escrutínio, caso o grupo armado concorra na Cisjordânia. Entretanto, o plano Sharon de retirada terminou ontem com a partida dos últimos militares das quatro implantações judaicas da Cisjordânia cujo abandono estava previsto. Israel vai, no entanto, continuar a gerir a segurança do território ao contrário do que fez com a Faixa de Gaza. Apesar desta situação, Kadim e Ganim, dois colonatos isolados do Norte da Cisjordânia, foram tomados de assalto por palestinianos exultantes. Os festejos pautaram-se por cenas em tudo semelhantes às vividas na Faixa de Gaza, quando a retirada militar culminou a 12 de Setembro.