Última hora

Última hora

Chanceler alemão volta a apelar à adesão plena da Turquia

Em leitura:

Chanceler alemão volta a apelar à adesão plena da Turquia

Tamanho do texto Aa Aa

A menos de uma semana da agendada abertura de negociações com Ancara, Gerhard Schroeder voltou a defender a adesão plena da Turquia à União. Josep Borrell, o presidente do Parlamento Europeu, recebeu, em Estrasburgo, o ainda chanceler alemão, que disse que “uma Turquia moderna, economicamente dinâmica, e onde coabitem a fé islâmica e os valores da União” seria “uma enorme contribuição para a segurança e a estabilidade de todos”.

Esta quarta-feira, os eurodeputados vão pronunciar-se sobre a abertura das negociações, agora que Ancara já alargou o protocolo aduaneiro aos dez novos membros da União – o que era um pré-requisito para começar a discutir a adesão. Embora optimista, o eurodeputado verde holandês Joost Lagendijk admite que a eurocâmara é muito crítica em relação, por exemplo, “à questão curda, aos direitos humanos e a outras situações que devem mudar antes de a Turquia se tornar membro” da União. Do lado da bancada popular, as críticas também se fazem ouvir. O conservador Camiel Eurlings recorda que Ancara continua a não reconhecer o governo de Nicósia, reconhecendo apenas a auto-proclamada República Turca de Chipre do Norte. O eurodeputado espera que a Europa se mantenha atenta, para saber “se a Turquia arranja maneira de normalizar as relações com Chipre”. E acrescenta: “No final do ano, nós, Parlamento Europeu, vamos estabelecer um conjunto claro de datas para outras reformas políticas.” A situação e os direitos das mulheres na Turquia, a questão do genocício arménio, para além dos já citados problemas com a minoria curda ou o reconhecimento da República de Chipre são alguns dos dossiês quentes que Ancara vai ter de resolver antes de uma eventual adesão ao grupo europeu.