Última hora

Última hora

Israel: Sharon silencia oposição interna por margem tangencial

Em leitura:

Israel: Sharon silencia oposição interna por margem tangencial

Tamanho do texto Aa Aa

Ariel Sharon venceu esta noite uma importante batalha no seio do Likud.O comité central do maior partido da direita israelita aprovou por margem mínima a manutenção da data das primárias em Abril de 2006.

Uma facção liderada por Benjamin Netanyahu queria antecipar a consulta interna já para o próximo mês de Novembro, mas acabou por ver a proposta rejeitada. 104 votos separaram os partidários do primeiro-ministro dos apoiantes de Netanyahu, conferindo a Sharon uma crucial vitória.Um outro resultado iria representar a perda da confiança política e a consequente destituição do primeiro-ministro.Dos quase três mil delegados, 51,3% votaram pela manutenção da data das primárias, Uma decisão contrária às sondagens internas que anunciavam a derrota do primeiro-ministro neste embate contra a facção mais à direita do Likud, contrária à retirada israelita da Faixa de Gaza. Aliás, por este motivo, Benjamin Netanyahu demitiu-se do governo e declarou guerra interna à liderança de Sharon. Perder esta primeira batalha não significa que perdeu a guerra e, no discurso de aceitação da derrota, Netanyahu prometeu que vai lutar para chegar à liderança do Likud em Abril. Resta saber se Abril não será tarde demais, pois as divisões no seio do partido ficaram bem expressas nas escaramuças que se viveram no exterior da sede do Likud. Cisões que deixam antever uma liderança difícil para Sharon, apesar desta vitória fundamental.