Última hora

Última hora

Bali: um paraíso turístico vítima do terrorismo

Em leitura:

Bali: um paraíso turístico vítima do terrorismo

Tamanho do texto Aa Aa

Alguns dias depois do fatídico 12 de Outubro de 2002, vários turistas rezavam ainda perante as discotecas transformadas em inferno durante os atentados.

Menos de um ano mais tarde, o processo contra os terroristas tinha lugar na capital indonésia, Jakarta. Durante três meses, 40 testemunhas, incluindo sobreviventes dos ataques, passaram pelo tribunal. Amrozi Bin Nurhasyim, um mecânico de 41 anos considerado o cérebro dos ataques de 2002, foi o primeiro a ser condenado à morte. Quando foi anunciada a sentença, o terrorista felicitou-se por morrer como mártir. A pena máxima foi mais tarde atribuída também ao irmão e a outro dos seus colaboradores. Vários outros envolvidos cumprem agora prisão perpétua. Os atentados foram reivindicados pela Al-Qaida. O grupo islamita Jamah Islamiya, com ligações à Al-Qaida e a que pertencia Amrozy, é apontado como o responsável. Entre as 202 vítimas dos atentados de 2002, encontravam-se muitos turistas de diversas nacionalidades. Um soldado português perdeu a vida nos ataques.