Última hora

Última hora

Ajuda Internacional começa a chegar ao Paquistão

Em leitura:

Ajuda Internacional começa a chegar ao Paquistão

Tamanho do texto Aa Aa

Num dos muitos blocos de apartamentos completamente destruídos em Islamabad ficaram soterradas cerca de 150 pessoas, entre paquistaneses e estrangeiros.

As equipas de socorro resgataram um feliz sobrevivente debaixo dos escombros. Um homem que resistiu a mais de 24 horas sob os destroços. Enquanto estão ainda por socorrer muitas aldeias e pequenas localidades isoladas pelo terramoto que este sábado atingiu o Paquistão e a Índia, as autoridades falam já em mais de 20 mil mortes e 42 mil feridos naquela região do sul da Ásia. O sismo, que atingiu uma magnitude de 7,6 na escala de Richter é a maior catástrofe natural a atingir o Paquistão desde a sua independência em 1947. A zona mais atingida é a região da Caxemira paquistanesa onde foram registados cerca de 17 mil mortos e mais de 40 mil feridos. Do outro lado da fronteira, as autoridades indianas deram conta de cerca de 700 vítimas mortais. O número de vítimas vai aumentando à medida que as horas passam. O governo paquistanês já apelou à comunidade internacional para que envie ajuda humanitária e financeira. Os Estados Unidos prometeram disponibilizar apoio financeiro de emergência, enquanto a França enviou uma equipa de salvamento composta por cerca de 50 elementos que levaram equipamento que inlclui serras eléctricas próprias para cortar metal e cimento, facilitando assim o acesso aos sinistrados. O apelo do presidente Pervez Musharraf teve resposta positiva por parte de países como a China, Rússia, o Irão e até mesmo a Índia se mostrou disponível para ajudar.