Última hora

Última hora

Saddam enfrenta primeiro processo

Em leitura:

Saddam enfrenta primeiro processo

Tamanho do texto Aa Aa

Um dos mais aguardados julgamentos de sempre teve início, esta terça-feira, em instalações que pertenceram ao partido do antigo regime do Iraque. Saddam Hussein e sete colaboradores sentaram-se no banco dos réus do Tribunal Especial Iraquiano, em Bagdade, na sessão inaugural do primeiro de 13 processos contra o ex-presidente iraquiano. Neste, o antigo ditador é julgado por responsabilidade no massacre de Dujail, em que mais de 140 xiitas foram mortos.

Nos primeiros momentos da sessão, o presidente do colectivo de cinco juízes, Rizgar Mohamed Amin, de origem curda, pediu a Saddam Hussein para se identificar. O antigo ditador recusou responder mas afirmou ser ainda o Presidente do Iraque e reconhecer a autoridade do tribunal. Declarou também que se reservava o direito constitucional de não responder às perguntas. Depois o procurador leu as acusações que pendem sobre os oito arguidos: responsabilidade pela execução de 143 aldeões, sequestro de 399 famílias e destruição das suas casas e terras agrícolas, além de tortura. Entre os colaboradores que estão também a ser julgados neste processo, encontram-se um dos seus meios-irmãos e conselheiro presidencial, o ex-vice-presidente do Iraque e o antigo juiz do tribunal revolucionário e adjunto do gabinete de Saddam, mais quatro dirigentes do partido Baas da região onde se verificou o massacre. A equipa de advogados de Hussein, liderada por Khalil Dilaimi, pediu um adiamento de três meses, com o argumento de que não foram disponibilizados meios e condições para preparar a defesa do seu cliente. O colectivo concedeu um adiamento de um mês e nove dias, principalmente devido à ausência de muitas testemunhas. O julgamento recomeça no dia 28 de Novembro. Saddam e os seus cúmplices podem ser condenados à morte. Nesse caso, a pena será executada por enforcamento.