Última hora

Última hora

Humores imprevisíveis do furacão Wilma lançam alerta na Florida

Em leitura:

Humores imprevisíveis do furacão Wilma lançam alerta na Florida

Tamanho do texto Aa Aa

Cada vez mais imprevisível, o furacão Wilma avança lentamente mas com uma potência destruídora máxima ao longo do mar das Caraíbas.

O ciclone diminuiu nas últimas horas para o nível 4, um ponto abaixo do topo da escala de Saffir Simpson, mas mantém-se instável com ventos de 260 km por hora. Segundo as previsões meteorológicas o Wilma deverá continuar a movimentar-se no sentido do noroeste, podendo atingir a província do Iucatão durante o dia. Nos próximos dias o furacão deverá inflectir o rumo para nordeste, repelido por uma massa de ar frio sobre o Golfo do México, podendo atingir o sul da Florida ou a ilha de Cuba durante o fim-de-semana. O responsável do centro meteorológico cubano afirma que, “este é o mais intenso furacão de sempre a assolar o Atlântico. Durante a noite o Wilma atingiu a categoria cinco com uma pressão mínima de 882 milibars, o que constitui um recorde”. Na ilha de Cuba onde os ventos fortes e as chuvas torrenciais provocaram vários desabamentos de terras, as autoridades já deslocaram 35 mil pessoas, essencialmente nas zonas da costa ocidental. No México o governo lançou um alerta azul para o risco do furacão poder atingir a zona de Chiapas, já abalada pelo Stan, e a província do Iucatão com as suas estâncias turísticas. Um turista americano explica porque decidiu partir antecipadamente da região, “as pessoas parecem calmas mas eu já vivi um furacão e não me apetece viver outro”. Na Florida e mesmo face à incerteza das previsões, as autoridades declararam o estado de emergência na zona do condado de Monroe, a sul. Para evitar os erros do Katrina, 1200 militares vão ser mobilizados para eventuais operações de assistência. Até agora 13 pessoas morreram no Haiti na sequência daquele que é o vigésimo primeiro e mais violento furacão da temporada no mar das Caraíbas e no Golfo do México.