Última hora

Última hora

Rovegate: o escândalo que abala a Casa Branca e a CIA

Em leitura:

Rovegate: o escândalo que abala a Casa Branca e a CIA

Tamanho do texto Aa Aa

Já é conhecido por “Plamegate” ou “Rovegate” o escândalo judicial mediático que rebentou no seio da administração Bush e envolve o conselheiro presidencial Karl Rove. Ele terá sido o instigador ou mesmo autor da revelação da verdadeira identidade da mulher do ex-embaixador Joseph Wilson.

Em Fevereiro do ano passado, a CIA despachou para o Níger o diplomata aposentado Joseph Wilson, que fora embaixador em Bagdade, para averiguar se Saddam Hussein tentara comprar urânio nesse país africano. O desmentido de Wilson não impediu que Bush mencionasse o suposto negócio como evidência de que o Iraque produzia armas de destruição em massa – o pretexto para a invasão. Quase meio ano depois, o diplomata acusou o governo de distorcer informações sobre o programa nuclear de Saddam “para exagerar a ameaça iraquiana”. Em represália, foi publicada a informação de que Valerie Plame, a sua mulher, trabalhava para a CIA. O director do gabinete do vice-presidente Dick Cheney, Scooter Linny, é outro dos que serão ouvidos pelo Júri Federal de Investigação que prepara as acusações para a organização do processo relacionado com a espionagem na Casa Branca. Como diz um analista, “a situação do vice-presidente piora todos os dias”. Nos Estados Unidos, identificar agentes da CIA é crime federal punido com 10 anos de prisão. A mulher do diplomata que viu a sua carreira destruída foi acusada num artigo escrito pelo ultraconservador Robert Novak. Segundo o Washington Post, mais seis jornalistas receberam a mesma informação naquela altura.