Última hora

Última hora

Cimeira Europeia informal já discute futuro da Europa

Em leitura:

Cimeira Europeia informal já discute futuro da Europa

Tamanho do texto Aa Aa

Já decorre, em Hampton Court, nos arredores de Londres, a Cimeira Europeia informal. Tony Blair, presidente em exercício da União, é o anfitrião. Os chefes de Estado e de governo dos Vinte e Cinco vão discutir a direcção dar à Europa e a melhor maneira de fazer face aos desafios da mundialização.

Fora da agenda está o assunto espinhoso, que marcou o fracasso da Cimeira de Junho último: o orçamento para 2007-2013 – um dos temas que os dez novos membros estavam ansiosos por discutir. Sem acordo sobre estas perspectivas financeiras, os novos aderentes arriscam-se a não receber os tão necessários fundos nas datas previstas. Mas o primeiro-ministro britânico e presidente em exercício da União já fez saber que o orçamento só será discutido na Cimeira de Dezembro. Tony Blair diz que “só depois de sabermos para onde vai a Europa será possível gastar o nosso dinheiro de forma racional”. Isto é, Blair faz depender o orçamento da direcção a dar à Europa. Para já, vai tentar convencer os seus parceiros de que o futuro da União passa pela Investigação e Desenvolvimento. Esta é uma das seis prioridades estabelecidas por Blair, que aposta também no reforço do sector universitário, na criação de uma política comum de energia, na gestão da imigração, na coordenação das questões demográficas e na criação de um fundo de mundialização – um tema que tem o apoio do presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso. Gerhard Schroeder foi o último a chegar a Hampton Court. O ainda chanceler alemão apareceu quando Tony Blair já tinha dado início à Cimeira. A troca eminente de líderes na Alemanha parece, para já, ter afastado Berlim do centro dos grandes debates europeus.