Última hora

Última hora

Aumento da idade da reforma paralisa Bélgica

Em leitura:

Aumento da idade da reforma paralisa Bélgica

Tamanho do texto Aa Aa

Em dia de greve geral, perto de 100 mil pessoas, provenientes de todos os cantos da Bélgica marcharam esta sexta feira pelas ruas da capital para exigir que o governo recue nos planos de aumentar a idade de reforma.

Um protesto convocado por uma frente intersindical “A questão essencial é a pré-reforma aos 60 anos. Pretendemos que a pré-reforma continue aos 58 anos e que sejam mantidas as excepções em vigor actualmente”, referiu um dirigente enquanto outro referiu que a manifestação foi “um sinal bastante forte dos trabalhadores e dos empregados para dizer não. Não queremos uma reforma assim tão drástica.” O governo chefiado por Guy Verhofstadt rejeita discutir a reforma com os sindicatos pois considera as novas medidas necessárias e inevitáveis de forma a evitar graves problemas orçamentais previstos para 2010. O executivo espera uma onda de aposentações de pessoas que nasceram depois da II Guerra Mundial. Além do protesto, que de acordo com os organizadores reuniu mais de 100 mil pessoas, a polícia referiu terem comparecido 80 mil, a Bélgica viveu o segundo dia de greve geral em menos de um mês. Quase todos os sectores económicos do país estiveram paralisados, facto que se traduz em prejuízos financeiros. O sistema de transportes foi bastante afectado, excluido a rede ferroviária. Os sindicatos pediram uma excepção na greve de forma a permitir que pessoas da toda a Bélgica pudessem deslocar-se à manifestação na capital.