Última hora

Última hora

Azerbeijão: Milhares de manifestantes dispersam pacificamente

Em leitura:

Azerbeijão: Milhares de manifestantes dispersam pacificamente

Tamanho do texto Aa Aa

Os cerca de 15 mil manifestantes que se juntaram, esta quarta-feira, na Praça da Vitória em Baku, decidiram abandonar pacificamente o local. Um número significativo de manifestantes ainda tentou montar tendas em plena capital do Azerbeijão, tal como aconteceu na Ucrânia, mas acabaram por ser dissuadidos pelos próprios líderes da oposição, que consideram ser ainda cedo para esse tipo de demonstração de força.

A forma pacífica como tudo correu deve-se à promessa da câmara municipal e das autoridades policiais de permitirem que os opositores, que reclamam a anulação das eleições legislativas de domingo, voltem a manifestar-se no sábado em Baku. Ali Kerimli, líder da Frente Nacional do Azerbeijão, voltou a exigir a anulação das eleições e afirmou que “o processo legal para que os resultados sejam anulados vai prosseguir”, bem como os comícios e as manifestações até que o governo decida cancelar as eleições fraudulentas”. A coligação Azadlig, que reúne o partido Musavat, a Frente Nacional e o Partido Democrático, conta também com o apoio dos restantes partidos da oposição. Nas eleições de domingo, o partido do presidente Ilham Aliev, Novo Azerbeijão, conquistou 63 dos 125 assentos do parlamento, mas a oposição já denunciou a existência de fraudes em 100 das 125 assembleias de voto. De acordo com a missão de observadores de Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE), as eleições “não decorreram conforme as normas internacionais” apesar de se terem registado “algumas melhorias”. A Comissão Eleitoral já anulou os resultados em dois distritos e ordenou a recontagem dos votos num terceiro.