Última hora

Última hora

França: menos violência na 14ª noite da revolta

Em leitura:

França: menos violência na 14ª noite da revolta

Tamanho do texto Aa Aa

Em França, a violência recuou à 14ª noite. Na região de Paris não se registaram quaisquer confrontos na noite passada, apesar de nenhuma edilidade ter ordenado o recolher obrigatório.

Os incidentes ocorrem, sobretudo, nas grandes cidades no Sul do país e no Leste, em Estrasburgo. Na cidade que acolhe o Parlamento Europeu foram incendiadas perto de duas dezenas de viaturas. O presidente francês pronunciou-se, pela segunda vez, sobre o assunto. Jacques Chirac afirma que a França tem de retirar ilações destas duas semanas de violência e chamou à atenção dos pais, porque muitas vezes os mais velhos “instigam” os menores que têm participado na revolta. Na noite passada foram incendiados mais 482 veículos em todo o território francês e 203 pessoas foram interpeladas. Símbolo do turismo luxuoso, Nice decretou o recolher obrigatório para os menores de 16 anos. A polícia de intervenção patrulhou as zonas sensíveis da cidade. A violência está também a “chamuscar” o ministro do Interior. Pela primeira vez, as sondagens colocam a popularidade de Nicolas Sarkozy atrás da do primeiro-ministro, Dominique de Villepin. O estado de emergência permanece em vigor em França e as autoridades temem o recrudescimento violento, neste fim-de-semana prolongado em que se celebra o Armistício. Cerca de 12 mil polícias controlam as zonas mais problemáticas para que os símbolos do poder não continuem a arder.