Última hora

Última hora

França viveu vigésima noite de violência

Em leitura:

França viveu vigésima noite de violência

Tamanho do texto Aa Aa

A vigésima noite de violência urbana em França saldou-se em 163 veículos destruidos pelas chamas e 50 detenções em todo o país. Regista-se também a destruição de uma igreja no Leste do país. Os números são ainda elevados, mas confirmam a tendência de acalmia.

Questionado sobre as razões que levam os jovens a incendiar carros, um habitante de Estrasburgo garante não ter palavras para explicar tais actos. Desde 27 de Outubro foram destruidos mais de oito mil veículos e mais de cem edifícios públicos. Foram detidas cerca de três mil pessoas, na maioria já conhecidas da polícia, e 600 permanecem detidas. O parlamento francês aprovou ontem o decreto-lei que prolonga o estado de emergência por três meses e o governo iniciou o processo de expulsão de estrangeiros envolvidos nos tumultos. O ministro do Interior, Nicolas Sarkozy, disse ontem aos deputados que se enfrenta uma das mais graves e complexas crises. E as raízes são profundas, como explicou Sarkozy: “Os bairros não são a França do lado, os bairros não são a França da televisão, os bairros são a própria França, tal como a construímos e gerimos nos últimos 30 anos”. A equipa de Dominique de Villepin anunciou uma série de medidas para melhorar as perspectivas dos habitantes dos súbúrbios. Ontem o chefe do executivo francês aproveitou a primeira visita a uma localidade afectada pela violência para enviar uma mensagem de “firmeza” e “responsabilidade”.