Última hora

Última hora

Coreia do Sul: Confrontos no arraque da cimeira da APEC

Em leitura:

Coreia do Sul: Confrontos no arraque da cimeira da APEC

Tamanho do texto Aa Aa

Registaram-se confrontos entre manifestantes e a polícia à margem da Cimeira de Cooperação Económica Asia-Pacífico, a APEC.

Um grupo de altermundialistas afastou-se de um protesto que reunia cerca de dez mil pessoas e tentou saltar as barreiras de segurança, neste caso contentores, que a polícia instalou para impedir o acesso ao local da cimeira. Os manifestantes utilizaram varas de bambu, a polícia de choque respondeu com jactos de água e bastonadas. Várias pessoas ficaram feridas, mas as imagens divulgadas não reflectem o ambiente geral dos protestos na Coreia do Sul, na sua grande maioria pacíficos. Relançar as negociações sobre a liberalização do comércio mundial, estudar uma acção conjunta para lutar contra a gripe das aves e reforçar a colaboração no combate ao terrorismo são os grandes pontos da agenda da cimeira da APEC. Nos próximos dois dias, os líderes de 21 países da costa do Pacífico estão reunidos na cidade portuária sul-coreana de Pusan. No conjunto, estes 21 países representam 35% da população e 57% da economia mundial. O relançamento das negociações sobre a liberalização do comércio é a grande prioridade para esta cimeira. A reunião ministerial da OMC, no próximo mês em Hong Kong, devia ser um marco importante na ronda negocial iniciada em Doha há 4 anos, mas o encontro parece para já votado ao fracasso por causa do impasse nas negociações sobre a agricultura. Num encontro à margem da cimeira, George Bush manifestou a Vladimir Putin o apoio da Casa Branca à iniciativa do Kremlin para sair da crise nuclear iraniana. Moscovo propõe ficar com todas as actividades sensíveis do enriquecimento de urânio. Em troca, Teerão poderá continuar a produzir combustível nuclear.