Última hora

Última hora

Ucrânia comemora Revolução Laranja com apelos à confiança e à unidade nacional

Em leitura:

Ucrânia comemora Revolução Laranja com apelos à confiança e à unidade nacional

Tamanho do texto Aa Aa

Um ano depois, os heróis da revolução laranja voltaram a subir ao palco da Praça da Independência em Kiev. Diante de mais de cem mil pessoas, o presidente Viktor Yushchenko tentou afastar a decepção e tocou a reunir para as legislativas do próximo mês de Março.

Depois de Yulia Timochenko ter apelado à união dos protagonistas que derrubaram o poder pró-russo e abriram a Ucrânia à liberdade e ao Ocidente, o chefe de Estado saído da revolução instou todos os intervenientes políticos a unirem-se para prosseguirem as conquistas de Novembro passado. Um discurso galvanizante que não reconcilia Timochenko e Yushchenko, mas visa devolver a confiança aos ucranianos, numa altura em que o Partido das Regiões, de Viktor Yanukovich, lidera as sondagens. Novamente unidos por um objectivo comum, depois de, em Setembro, Yushchenko ter demitido Timochenko da chefia do governo, os dois protagonistas da revolução laranja cerram fileiras para manter o poder. Porém, o descontentamento continua a ser a nota dominante. Há um ano, na primeira linha de apoio à revolução, o movimento estudantil Pora, entretanto reconvertido em partido, pede hoje contas ao presidente. Um dos dirigentes do PORA afirmou: “Estamos aqui para comemorar o aniversário da revolução laranja, mas gostaríamos de perguntar ao presidente e ao novo governo ucraniano o que andaram a fazer no último ano”. A euforia deu lugar à decepção e ao alheamento, mas, um ano depois, a música e os discursos de unidade nacional voltaram a encher a Praça da Independência de Kiev.