Última hora

Última hora

Pico de poluição deixa águas do Songhua que abastecem Harbin

Em leitura:

Pico de poluição deixa águas do Songhua que abastecem Harbin

Tamanho do texto Aa Aa

O pico de poluição nas águas do Songhua já deixou a cidade de Harbin. Ao quarto dia sem água, um habitante da cidade, proprietário de um restaurante, decidiu apresentar queixa contra a Jilin Petrochimical, subsidiária da petrolífera estatal chinesa CNPC, que depois de ter negado qualquer responsabilidade nos níveis de poluição da água, reconheceu na sexta-feira ter despejado 100 toneladas de benzeno e nitrobenzeno – cerca de 10 camiões cisterna – no rio Songhua, que abastece Harbin.

No passado dia 13, uma explosão na unidade fabril da Jilin Petrochimical levou a direcção da empresa a ordenar o derrame dos químicos cancerígenos no rio. O lençol químico de 80 quilómetros de extensão tem vindo a descer o rio lentamente devido ao facto de as águas estarem parcialmente geladas. A maior secção de poluentes dirige-se agora para cidades que são também abastecidas pelo Songhua. Centenas de milhares de pessoas deverão juntar-se nas próximas horas aos 3,8 milhões de habitantes de Harbin, privados de água desde terça-feira. Uma grande parte dos residentes da cidade estão a abandonar a região, com muitas famílias a enviarem os mais novos e os mais velhos para outras cidades.