Última hora

Última hora

Soldados americanos são o alvo preferido da guerrilha

Em leitura:

Soldados americanos são o alvo preferido da guerrilha

Tamanho do texto Aa Aa

Depois do massacre ontem de uma dezena de soldados americanos na região de Falluja, mais três marines foram mortos Ballad e um outro em Ramadi, para além de dois civis e um polícia feridos em Samarra, todos vítimas de explosão ou armas de fogo.

O ataque à coluna militar de ontem surgiu um dia depois do discurso do presidente norte-americano sobre o Iraque. Bush afirmou que “a América não se dobra perante bombistas e assassinos enquanto ele for comandante geral das tropas”. Mas a determinação do presidente gera cada vez mais críticas e mau estar. John Murtha, um eleito da Pensilvânia, diz que “cada patrulha, cada operação fora da Zona Verde ou das bases torna as tropas vulneráveis. É o inimigo quem controla e os soldados são o alvo”. Um alvo que na última semana deixou no terreno 19 vidas; desde o princípio do ano quase 800 e desde o princípio da guerra, em 2003, mais de 2100. Números que o povo americano começa a ter cada vez mais dificuldades em aceitar. Os apelos à retirada são cada vez mais insistentes.