Última hora

Última hora

Orçamento comunitário com menos críticas

Em leitura:

Orçamento comunitário com menos críticas

Tamanho do texto Aa Aa

As críticas a Londres baixam de intensidade. O que ontem era verdade hoje já não o é. Os novos Estados membros e a própria Comissão Europeia começam a considerar que a proposta de orçamento apresentada pela presidência britânica é uma boa base de negociação.

Durão Barroso pediu à presidência britânica “que volte a olhar para o orçamento.” O presidente da Comissão afirmou: “Pensamos que um pequeno passo da presidência britânica pode ser um grande passo para a Europa alargada, em especial para os novos Estados membros.”

Um “pequeno passo” quer dizer uma redução menos acentuada das ajudas regionais ou um pouco mais de flexibilidade para reduzir o cheque britânico.

Esta segunda-feira, o ministro Jack Straw anunciou a proposta britânica de orçamento comunitário para 2007-2013: 846 mil milhões de euros, isto é, menos do que os 871 mil milhões, propostos em Junho pelo Luxemburgo. Isto significa 1,03% do PIB comunitário, o que pode agradar aos contribuintes líquidos, como a Suécia ou a Itália, por exemplo. Recorde-se que seis países da União assinaram uma carta a pedir que o orçamento não ultrapassasse um por cento do produto interno bruto comunitário. Portugal que diz não concordar com a proposta britânica, também admite, no entanto, que ela pode evoluir e originar um acordo.