Última hora

Última hora

Estado da Califórnia executa Stanley "Tookie" Williams

Em leitura:

Estado da Califórnia executa Stanley "Tookie" Williams

Tamanho do texto Aa Aa

Passavam 35 minutos da meia-noite na prisão de San Quentin, na Califórnia, mais oito horas em Lisboa, quando Stanley “Tookie” Williams foi executado com uma injecção letal.

De acordo com testemunhas, o recluso não tentou resistir em momento algum.Estava deitado na maca, levantou várias vezes a cabeça e olhou para as pessoas que assistiram à sua execução. As testemunhas afirmaram também que o processo de execução demorou muito tempo, já que entre a entrada na sala onde ia ser executado e a primeira injecção passaram mais de 20 minutos. Numa última tentativa de escapar à pena capital, o recluso pediu clemência ao governador da Califórnia, mas o pedido foi recusado. Arnold Schwarzenegger referiu em conferência de imprensa que “é preciso analisar cada caso por si e que a responsabilidade é muito grande”. Depois seguiu-se a recusa do supremo tribunal de negar o último recurso, faltavam seis horas para a execução. “Tookie” Williams foi condenado à pena de morte pelo assassínio de quatro pessoas em 1979, quando era líder do gangue de Los Angeles Crips, um dos mais violentos de que há memória. Esteve detido 25 anos e, na prisão, tornou-se num famoso activista contra o crime organizado, chegando mesmo a escrever livros para crianças sobre os perigos dos gangues e contra a violência e chegou a ser nomeado várias vezes para o Prémio Nobel da Paz. Vários milhares de pessoas protestaram contra a execução de “Tookie” Williams junto à prisão de San Quentin.