Última hora

Última hora

OMC: Protestos e cepticismo em torno da conferência de Hong Kong

Em leitura:

OMC: Protestos e cepticismo em torno da conferência de Hong Kong

Tamanho do texto Aa Aa

Os protestos dos activistas antiglobalização começaram cedo no segundo dia da conferência ministerial da Organização Mundial do Comércio (OMC) em Hong Kong. A polícia foi a obrigada a manter uma posição de firmeza, enquanto que no interior do centro de congressos de Hong Kong, os representantes dos 149 países membros da OMC deixam transparecer algum cepticismo quanto ao sucesso da negociações.

O dirigente norte-americano Rob Portman lançou mesmo um apelo para que a OMC “volte a reunir no início do próximo ano, no sentido de ultrapassar o impasse negocial, e para que os trabalhos sejam concluídos até ao final de 2006.” Já o comissário europeu Peter Mandelson mostrou-se desiludido pelo facto dos membros da organização terem recusado discutir a proposta europeia no sector da agricultura, uma oferta que alguns países europeus consideram excessiva. Mandelson instou os membros da OMC a realizarem propostas noutros domínios económicos, como a indústria e o comércio. E deixou um aviso: “Um ciclo negocial dedicado à agricultura está condenado ao fracasso.”