Última hora

Última hora

Arqueóloga alemã foi libertada

Em leitura:

Arqueóloga alemã foi libertada

Tamanho do texto Aa Aa

Final Feliz para Suzanne Osthoff, a alemã raptada no Iraque junto com o motorista há quase um mês. A arqueóloga de 43 anos foi libertada A noticia foi avançada pela televisão pública alemã e logo confirmada pelo ministério dos Negócios Estrangeiros.

Frank Walter Steinmeier garante que “Osthoff está em segurança na embaixada alemã em Bagdade. Os primeiros dados indicam que se encontra bem de saúde. Os raptores garantiram que o condutor será libertado mais tarde”. Suzanne Ostoff foi sequestrada com o motorista em Ninive no norte do Iraque a 25 de Novembro. Os raptores exigiram o fim da colaboração da Alemanha com o novo regime iraquiano. As autoridades alemães dão formação aos agentes de segurança no estrangeiro. A arqueóloga vive no Iraque há perto de 10 anos e converteu-se ao islamismo. Após o início do conflito no Iraque, a cidadã alemã passou a prestar auxílio humanitário. O rapto de Susanne Osthoff foi a primeira crise do género que Angela Merkel teve de enfrentar, mas a nova chanceler alemã fez imediatamente saber que não ia ceder à chantagem. A situação da refém, ameaada de morte, mobilizou toda a Alemanha, que esteve até hoje em suspenso. Multiplicaram-se as manifestações de apoio a Susanne Osthoff, muitas delas promovidas pela mãe. A última realizou-se em Berlim há uma semana.