Última hora

Última hora

Cidade russa ameaçada de contaminação tóxica

Em leitura:

Cidade russa ameaçada de contaminação tóxica

Tamanho do texto Aa Aa

A mancha de benzeno provocada pela explosão numa fábrica petroquímica chinesa entrou em território russo pelo rio Amur (leste), perto de Khabarovsk – cidade de 600 mil habitantes.

A camada de benzeno de 80 km de comprimento espalhou-se pelo rio Songhua (um afluente do rio Amur no nordeste da China, província de Jilin), depois da explosão ocorrida na petroquímica no dia 13 de Novembro. Os russos tentam travar o avanço tóxico do solvente industrial por todos os meios, enchendo o leito do Amur com contentores, pedras e tudo o que possa impedir a contaminação da cadeia alimentar e perturbar o frágil ecossistema da região. Moscovo já enviou para Khabarovsk reservas de água potável, por barco, e produtos para purificar a água. O armazenamento de água não pode ser feito de qualquer maneira, como verificou Lyoubov Stasenko. Toda a água que guardou em recipientes na semana passada ficou imprópria para consumo. Logo a seguir ao acidente, o primeiro-ministro chinês Wen Jiabao enviou uma carta ao seu homólogo russo, Mikhail Fradkov, pedindo desculpas oficiais e oferecendo toda a assistência para combater a catástrofe. O ministro chinês do Ambiente foi obrigado a demitir-se. As relações sino-russas não ficaram afectadas.