Última hora

Última hora

Saddam Hussein contra-ataca na sexta sessão do processo de Dujail

Em leitura:

Saddam Hussein contra-ataca na sexta sessão do processo de Dujail

Tamanho do texto Aa Aa

A descontracção demonstrada por Saddam Hussein no início da sexta sessão do seu processo, que decorreu esta quarta-feira em Bagdade, rapidamente se transformou em confrontação.

Quando lhe foi dada a palavra, Saddam Hussein começou por referir que foi “espancado e torturado pelos americanos” bem como os seus sete colaboradores que também estão a ser julgados pelo massacre de perto de 150 pessoas da localidade xiita de Dujail, em 1982, depois do ex-ditador ter sido alvo de um atentado fracassado. As acusações de Saddam Hussein foram proferidas depois de ter sido ouvida mais uma testemunha do massacre. Ali Hassan Mohammed al-Haidari, de 37 anos, descreveu a repressão de que os habitantes de Dujail foram vítimas depois do sucedido em 1982. Al-Haidari referiu que a sede do partido Baas em Dujail transformou-se num centro de tortura onde os suspeitos entravam pelos seus próprios pés e saíam enrolados em lençóis completamente manchados de sangue. Durante parte do depoimento da testemunha, Saddam rezou, agarrado ao Corão. Depois afirmou que todos os que estão contra si deviam ser punidos. Palavras que em Dujail, perante uma audiência que seguia atentamente todo o processo, só reforçaram o sentimento de vingança existente nesta localidade xiita há mais de 13 anos.