Última hora

Última hora

Parlamento russo acusa forças de seguranaça de negligência na escola de Beslan

Em leitura:

Parlamento russo acusa forças de seguranaça de negligência na escola de Beslan

Tamanho do texto Aa Aa

A tragédia de Beslan podia ter sido evitada – quem o garante é um relatório da Duma, a câmara baixa do parlamento russo. O deputado Alexandre Torshin dirigiu a comissão de inquérito e acusa as autoridades da república russa da Ossétia do Norte de “negligência” e “má gestão” da tomada de reféns na escola de Beslan, em Setembro do ano passado.

Explica o deputado, “a representação do Ministério do Interior na República da Ingushétia recebeu, no dia 29 de Agosto de 2004, informações de que grupos terroristas estavam a planear ataques contra instalações educativas no dia da abertura das aulas, a 1 de Setembro”. E foi isso que aconteceu: no dia em que as aulas reabriram, 32 sequestradores tomaram de assalto a escola número um de Beslan. O sequestro durou dois dias. As mais de 1100 pessoas sequestradas, na maioria crianças, estiveram privadas de água e comida. Quando as tropas forçaram a entrada, os criminosos fizeram explodir a escola: 331 reféns morreram, 186 dos quais eram crianças. O relatório da Duma acusa as autoridades locais de terem também mentido quanto ao número de pessoas sequestradas, uma vez que insistiu em dizer que estavam apenas 354 reféns no interior da escola, quando na verdade estava mais do triplo.