Última hora

Última hora

Confrontos no Cairo provocam a morte a 20 refugiados sudaneses

Em leitura:

Confrontos no Cairo provocam a morte a 20 refugiados sudaneses

Tamanho do texto Aa Aa

As autoridades egípcias admitem que são, pelo menos, 20 os sudaneses mortos no Cairo – entre os quais várias crianças. O desmantelamento de um acampamento de refugiados sudaneses provocou ainda várias dezenas de feridos.

Durante a última madrugada, a polícia recorreu aos canhões de água para desalojar os cerca de três mil sudaneses, acampados, há três meses, em frente da delegação das Nações Unidas, na capital egípcia. Os sudaneses pedem o estatuto de refugiados políticos e querem que o ACNUR – o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados – os ajude a deixar o Egipto e os realoje noutros países. Mas o ACNUR deixou de analisar os pedidos desde o fim da guerra civil no Sudão, que terminou em Janeiro último, ao fim de 21 anos de confrontos. Estima-se que dois milhões de sudaneses se encontrem, actualmente, no Egipto. O desmantelamento do acampamento provocou várias dezenas de feridos, que foram hospitalizados. Mas a maioria dos sudaneses foi conduzida a um campo militar. Segundo a Agência France Presse, vários outros imigrantes terão morrido, já no campo militar, por falta de cuidados médicos. É, pois, de esperar que o balanço de vítimas venha ainda a aumentar nas próximas horas. António Guterres, Alto Comissário das Nações Unidas para os Refugiados, já se afirmou “profundamente chocado” com estes acontecimentos.