Última hora

Última hora

Palestinianos temem o futuro mas não choram a morte de Sharon

Em leitura:

Palestinianos temem o futuro mas não choram a morte de Sharon

Tamanho do texto Aa Aa

O mundo inteiro está na expectativa do evoluir do estado de saúde de Ariel Sharon, mas os palestinianos acompanham com particular atenção as notícias que vêm do hospital Hadasa, em Jerusalém. O primeiro-ministro, Ahmed Qorei, reagiu assim esta manhã: “No que diz respeito aos palestinianos, primeiro esperamos que ele se restabeleça, segundo estamos sempre à procura de um líder de Israel que seja a favor da paz”.

Uma posição mais radical tem o movimento Hamas, inimigo de sempre de Sharon. O seu porta-voz, Mushir al-Masri, falou assim: “Pensamos que o mapa político vai mudar definitivamente sem Sharon na região; a ausência de um criminoso assim vai ser benéfica para a região” Na Cisjordânia e na Faixa de Gaza, as reacções são as mais diversas. Muitos acreditam que Sharon tinha um papel a desempenhar no futuro pacífico da região,outros preferem que ele se ausente. “Houve muito sofrimento durante a liderança de Sharon, mas penso que é o único homem que implementa a ideia da paz”, diz um palestiniano de Gaza. Um outro, afirma: “Não me importo com Sharon, doente ou não é um criminoso, um criminoso de guerra que massacrou muitas pessoas”. As manifestações são as mais diversas. Na Faixa de Gaza muitos jovens e crianças do Fatah, acompanhadas por um membro deste movimento, distribuem doces nas ruas aos transeuntes e aos automobilistas. Fazem parte do chamado Parlamento Jovem, uma associação satélite do Fatah e, ao mesmo tempo que distribuem caramelos e chocolates, exibem cartazes onde se lê: “Morte a Sharon, o assassino das crianças” e “Sharon que vá para o inferno”.