Última hora

Última hora

O último combate do "Bulldozer": Sharon resiste, talvez com danos irreparáveis

Em leitura:

O último combate do "Bulldozer": Sharon resiste, talvez com danos irreparáveis

Tamanho do texto Aa Aa

Israel assiste ao fim de um ciclo político, suspenso nas últimas informações sobre o estado de saúde de Ariel Sharon.

O primeiro-ministro, hospitalizado na quarta-feira, encontra-se num estado crítico mas estável depois de ter sido submetido esta tarde a uma terceira intervenção cirúrgica para estancar uma nova hemorragia cerebral. Segundo o responsável do hospital Hadassah de Jerusalém, ao fim de cinco horas de intervenção os médicos conseguiriam diminuir a pressão intra-craniana do primeiro-ministro israelita, que continua no entanto ligado a uma sonda. Segundo alguns especialistas, a gravidade do primeiro acidente vascular cerebral (AVC) que levou Sharon ao Hospital há dois dias, teria já causado danos irreparáveis. Entre os círculos médicos há quem fale de negligência por parte da equipa que acompanhava Sharon. Desde uma primeira trombose, há duas semanas, que Sharon era submetido a um tratamento com anti-coagulantes com vista a uma operação ao coração, mas sem acompanhamento médico, apesar deste tipo de medicamentos aumentarem o risco de trombose. Desde esta manhã que os principais ministros e conselheiros de Sharon acompanham no hospital Hadassah os últimos desenvolvimentos sobre o estado de saúde do primeiro-ministro. O governo do país está entregue nas mãos do número dois do executivo, Ehud Olmert, que já anunciou que um cenário pós-Sharon será marcado pela continuidade, ou seja, o empenho na paz e na luta contra o terrorismo. Israel entra hoje naquele que pode ser o último “Shabath” de um ciclo político, assistindo provavelmente ao derradeiro combate do homem conhecido como o “Bulldozer”.